Motorista invade calçadão de Copacabana, atropela pedestres e mata bebê

Um carro invadiu o calçadão e atropelou pedestres na Praia de Copacabana, na Zona Sul do Rio, na noite desta quinta-feira (18). Um bebê de 8 meses morreu.

Há 12 feridos, segundo a Secretaria Municipal de Saúde. O caso mais grave é de uma pessoa que sofreu traumatismo craniano. Todas foram encaminhadas para os hospitais Souza Aguiar e Miguel Couto, no Centro e no Leblon, respectivamente.

O motorista foi detido e identificado como Antonio de Almeida Anaquim, de 41 anos. Ele foi levado para a 12ª DP (Copacabana) e disse que perdeu o controle do carro porque “apagou” após sofrer um ataque epiléptico.

Antonio de Almeida Anaquim, motorista que invadiu o calçadão de Copacabana e deixou feridos (Foto: Reprodução/GloboNews)Antonio de Almeida Anaquim, motorista que invadiu o calçadão de Copacabana e deixou feridos (Foto: Reprodução/GloboNews)

Antonio de Almeida Anaquim, motorista que invadiu o calçadão de Copacabana e deixou feridos (Foto: Reprodução/GloboNews)

Anaquim será submetido a exame para detectar a quantidade de álcool no sangue. Segundo o produtor Leslie Leitão, da TV Globo, havia remédios para epilepsia no carro.

Bebê estava entre os feridos (Foto: Reprodução/GloboNews)Bebê estava entre os feridos (Foto: Reprodução/GloboNews)

Bebê estava entre os feridos (Foto: Reprodução/GloboNews)

Depois de passagem pela delegacia, ele foi encaminhado para o IML. Antes da chegada da polícia, testemunhas revoltadas tentaram agredir o motorista, mas agentes chegaram rápido e o conduziram para a delegacia.

Segundo o produtor Leslie Leitão, da TV Globo, havia remédios para epilepsia no carro do atropelador. Ele alegou que apagou quando estava dirigindo e subiu a calçada.

O Centro de Operações da Prefeitura informou o acidente interditou duas faixas da Avenida Atlântica, sentido Leme.

Uma hora depois do acidente, feridos ainda eram atendidos no local. Uma testemunha, uma turista argentina ouvida pela GloboNews, afirmou que o carro estava em alta velocidade (veja a entrevista acima).

“Cadeiras voaram, não percebemos que era o carro até que as pessoas começaram a abrir e aí vimos gente caída no chão. Havia um bebê machucado”.

“Foi muito rápido, [o carro] veio muito rápido. Foi estranho, porque o trânsito estava muito lento”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *