quinta-feira, janeiro 24

Após quase um ano, Justiça do Ceará aceita denúncia contra 15 suspeitos de participação na Chacina das Cajazeiras

Após quase um ano,a Justiça do Ceará decidiu aceitar a denúncia do Ministério Público contra os 15 suspeitos de participar da Chacina das Cajazeiras, que deixou 14 pessoas mortas em janeiro de 2018, durante uma festa em um clube conhecido como “Forró do Gago”, informou o Diário do Nordeste.

O Colegiado de Juízes proferiu a decisão no dia 7 de dezembro, após considerar presentes indícios suficientes de autoria e prova da materialidade dos crimes. “A peça delatória expôs, de forma clara e objetiva, os fatos supostamente delituosos, com todas as circunstâncias relevantes, indicou as qualificações dos denunciados, classificou os crimes e forneceu rol de testemunhas, atendendo a todos os requisitos formais do art. 41 do Código de Processo Penal” , destacou o Colegiado.

Os denuciados terão dez dias para responderem à acusação por escrito, onde podem alegar o que interesse à sua defesa, apresentar documentos e justificações. Cada um pode solicitar até oito testemunhas. Caso algum dos acusados não apresente a resposta à acusação no prazo estabelecido, os autos serão encaminhados ao defensor público da Vara.

São denunciados Deijair de Souza Silva, Noé de Paula Moreira, Misael de Paula Moreira, Francisco de Assis Fernandes da Silva, Auricélio Sousa Freitas, Zaqueu Oliveira da Silva, Ednardo dos Santos Lima, João Paulo Félix Nogueira, Rennan Gabriel da Silva, Fernando Alves de Santana, Francisco Kelson Ferreira do Nascimento, Ruan Dantas da Silva, Joel Anastácio de Freitas, Victor Matos de Freitas e Ayalla Duarte Cavalcante.

A denúncia aponta contra eles os crimes de homicídio e tentativa de homicídio (triplamente qualificados por motivo torpe, meio cruel e recuso que impossibilitou defesa das vítimas), incêndio, tentativa de uso de gás tóxico, fraude processual e constituição de organização criminosa (com emprego de arma de fogo e participação de adolescente).

A chacina ocorreu na madrugada de 27 de janeiro deste ano, quando membros de uma facção invadiram o clube Forró do Gago, no Bairro Cajazeiras, e disparam vários tiros, matando 14 pessoas. As investigações apontaram a rivalidade entre facções criminosas como a motivação do crime.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: